7 EVENTOS DA IDADE MÉDIA QUE SÃO MAIS LOUCOS QUE GAME OF THRONES

Sharing is caring!

A Idade Média é um dos momentos mais insanos da humanidade que temos notícia, acumulando uma quantidade absurda de loucuras. Não é à toa que durante o período Renascentista, a Idade Média era chamada de Idade das Trevas. É quase consenso que sua duração foi dos anos de 476 até cerca de 1453, ou seja, quase um milênio. Na prática, ela teria tido início com a queda do Império Romano e acabaria com a queda da capital de Bizâncio, Constantinopla, sob o ataque dos turcos otomanos.

A Idade Média colecionou numerosas guerras, doenças e uma higiene precária, para dizer o minimo. Consequentemente a esses elementos, o nível de mortalidade era extremamente alto. Talvez, ela seja um dos melhores períodos para se estudar, devido a ser uma época interessante. Mesmo com a falta de muitas informações dessa época, podemos dizer sem nenhuma culpa que a Idade Média não perde em nada para uma saga fantástica como Game of Thrones. Aliás, digo mais: listamos 7 eventos que mostram que a Idade Média é mais louca que Game of Thrones.

1 – Ordens de Cavaleiros

Na Idade Média, existiam as famosas Ordens de Cavaleiros. Elas possuíam grande prestígio e fama. Eram as cavalarias. Contudo, esse conceito só ficou realmente famoso nos estudos do século 20. Jacques Le Goff , um dos estudiosos medievalistas, que escreveu “A civilização do oeste medieval”, afirma que o título de cavaleiro surgiu em 971 d.C. Eles eram guerreiros, diferentes daqueles da igreja católica que estavam presentes na Cruzada.

Um fato muito disseminado é que na Idade Média existiam as Ordens Secretas de Cavaleiras. Elas são as mesmas que nós estamos discutindo, porém, o fato de chamá-las de secretas é um equivoco, uma vez que nunca foram ocultas.

2 – Inquisição e Idade Média

É quase senso comum que a Inquisição aconteceu durante a Idade Média. Os dois pontos parecem sempre estar juntos em nossas mentes. Apesar da Inquisição, o corpo da Igreja Católica que investigava os hereges, surgiu em 1215, porém, só veio a florescer em 1483. Para se ter uma ideia, uma das vítimas mais famosas da Inquisição, Giordano Bruno – que alegava que a Terra girava em torno do sol -, foi queimado em 1600. O que eu quero dizer é que apesar de ter sido criada na Idade Média, a Inquisição só funcionou realmente anos depois, assim que esse período veio ao fim.

3 – Roupas listradas

Usar roupa listrada durante a Idade Média era motivo para a morte. Em 1310, um sapateiro francês Rouen foi executado por ter ousado vestir uma roupa listrada por um dia. Alguns sugerem que a proibição remonta à citação bíblica de Marcos, versículo 6, capítulo 9: “Mas calce os sapatos de maneira simples e não use duas roupas”. Outros acreditam que a roupa listrada escondia a figura, portanto, era considerada uma tentativa de esconder sua verdadeira aparência.

4 – Máscara da Peste Negra

Os médicos, durante a Peste Negra, usavam uma máscara especial com um bico de pássaro. Muito gente acha que o visual era para intimidação, porém, várias substâncias com cheiro forte eram usadas nela. A intenção era que esse, por exemplo, pano embebido em vinagre, flores, ervas ou cânfora funcionasse como um tipo de filtro que não permitisse que a peste contaminasse os médicos. A Peste Negra é considerada a primeira pandemia da humanidade, tendo matado mais de 125 milhões de pessoas pela Ásia e Europa.

5 – Cavaleiros lutando contra caracóis

No final do século XIII , desenhos de cavaleiros lutando contra os caracóis começaram a aparecer nas margens de vários manuscritos criados nas regiões do norte da França. O motivo exato e o que representa os caracóis ninguém sabe, porém, existem teorias. O bibliófilo Conde de Bastar, sugeriu que o caracol que emerge da casca é uma espécie de símbolo da ressurreição dos mortos, sendo o desenho uma alegoria cristã. Já outra teoria aponta que o caracol é um símbolo de covardia , uma zombaria dos artistas para com os cavaleiros.

6 -Buda, o santo cristão

Na Idade Média, o romance Barlaão e Joasaf era popular na Europa e fala do príncipe pagão Joasaf, que foi cristianizado pelo eremita Varlaão. Tendo aceitado a nova fé, ele converteu seu próprio povo nela e, então, deixou para trás todo o poder e riquezas herdados e foi para o deserto. A história de Joasaph possui muitas características em comum com as lendas indianas sobre Buda, então os pesquisadores concordaram que o romance europeu é uma versão dele. Ou seja, Buda também era cristão.

7 – Escadas em espiral no sentido horário

Sinuosas escadas em castelos medievais sempre foram feitas no sentido horário. O motivo era pro caso de acontecer um cerco. O fato é que, com esse desenho de escada, o defensor do castelo poderia atacar com a mão direita, que, como sabemos, está liderando na maioria das pessoas. O inimigo, que estava avançando dos estágios inferiores, não se sentia à vontade para atacar com a mesma mão. As escadarias em espiral tinham outro truque: os degraus eram de diferentes alturas e larguras, e o inimigo, que não conhecia as características do design, tropeçaria e cairia, enquanto o dono do castelo e seus habitantes, que conheciam cada passo, subiam as escadas muito rapidamente.

Facebook Comments