CARTA RECÉM-DESCOBERTA DE EINSTEIN REVELA MEDO DOS NAZISTAS TOMAREM O PODER

Sharing is caring!

Antes de Adolf Hitler chegar ao comando da Alemanha, Albert Einstein parecia já prever o perigo que os nazistas ofereciam para seu país. Isso porque recentemente descobriram uma carta do famoso físico, recentemente apresentada por um colecionador desconhecido. A carta foi escrita à mão, está datada em 12 de agosto de 1922, assinada por Albert Einstein e direcionada a sua irmã Maja.

Tanto o conteúdo da carta, quanto a data de quando foi escrita chamaram muito atenção. Einstein disse que tinha o desejo de deixar Berlim por que temia sua própria segurança. Na época, o ministro das relações exteriores, Walter Rathenau, que era judeu, tinha acabado de ser assassinado por três alemães anti-semitas.

Depois disso, a polícia disse a Einstein que ele poderia ser o próximo e que o melhor era deixar a cidade. A gente mostra mais detalhes dessa história para vocês.

A carta onde Albert Einstein previu os nazistas no poder

Depois de ser alertado pela polícia, o físico resolveu deixar Berlim. Ele foi para o norte do país, provavelmente para a cidade de Kiel, onde ele deve ter escrito a carta.

Na carta enviada para a irmã, Einstein escreveu coisas como “Ninguém sabe onde estou” e “e acredito que as pessoas achem que estou desaparecido”. O físico estava preocupado com o sentimento anti-semita na Alemanha e qual seria o futuro do seu país. Em outros trechos, ele disse o seguinte: “Estou bem, apesar do anti-semitismo dos meus colegas alemães. Estou muito recluso aqui, sem barulho e sem sentimentos desagradáveis, e estou recebendo meu dinheiro independente do Estado, então sou um homem livre”.

O físico escreveu essa carta antes mesmo dos nazistas chegarem ao poder, cerca de quatro anos depois de ter acontecido a Primeira Guerra Mundial.

Um ano depois de Einstein ter escrito essa carta, Hitler encenou sua tentativa de golpe em Munique. Ele foi preso e condenado a 5 anos de prisão depois dos nazistas falharem em tomar o poder. Hitler ficou preso apenas nove meses, mas esse acontecimento serviu para as pessoas saberem quem ele era.

Anos depois, exatamente em 1933, Hitler chegou ao poder e transformou a Alemanha em um país com regime fascista e anti-semita. Porém, apenas um ano antes da primeira tentativa, no entanto, Einstein já temia pelo futuro de seu país. “Aqui estão se desenvolvendo tempos politicamente e economicamente obscuros”, escreveu, “então estou feliz de poder ficar longe de tudo por seis meses.”

Fora do país na hora cera

Sabendo da sua importância como figura pública, Einstein disse à sua irmã para ficar calma e não se preocupar. Na carta, ele escreveu o seguinte: “Não se preocupe comigo”, escreveu ele, “eu mesmo não me preocupo, mesmo que não seja kosher (que isso esteja de acordo com as leis judaicas); as pessoas estão perturbadas”. Ele continua dizendo sobre os italianos: “Na Itália, parece que está menos pior, a propósito.” De fato, a situação na Itália (lugar onde nasceu o fascismo) também não estava das melhores.

Em 1922, Einstein deu aulas no Japão e teve uma longa jornada pelo continente asiático. Cerca de 11 anos depois. com os nazistas no poder, o físico teve sua teoria da relatividade negada pelo governo e chamada de “física de judeu”.

Com Hitler no poder e Einstein em uma de suas turnês fora do país, ele sabia o que o esperava e por isso resolveu que não voltaria para a Alemanha. O físico renunciou sua cidadania e se mudou para os EUA. Lá ele aceitou uma posição no Instituto de Estudos Avançados de Princeton, onde ele trabalhou até morrer em 1955.

Facebook Comments