ESSA YOUTUBER ENLOUQUECEU E MATOU SUA VIZINHA DE APENAS 9 ANOS

Sharing is caring!

As pessoas que vemos na plataforma de vídeo, muitas vezes, podem ser diferentes das pessoas que elas são na vida real. Os amigos de Alyssa Bustamante disseram que ela era doce e amada por todos. Em sua persona, além da que ela mostrava no Youtube, havia um lado mais sombrio.

O que pode ter chocado seus amigos e familiares foi a youtuber de 15 anos ter matado uma menina de nove anos, Elizabeth Olten. A mãe de Alyssa tinha histórico com abuso de drogas e álcool e seu pai estava preso. Por isso entre 2002 e 2009, ela foi criada por seus avós.

Mesmo com os problemas com seus pais, a menina era uma boa estudante e, aparentemente, normal. Ela frequentava a igreja dos mórmons e, segundo seus amigos, escrevia poemas e brincava normalmente.

Em 2007, ela tentou se matar depois de passar 10 dias em uma clínica psiquiátrica, onde foi medicada com antidepressivos. Mesmo com os medicamentos a menina se automutilava várias vezes. Os amigos da menina relataram que várias vezes ela chegava com cortes nos pulsos na escola.

“Bem, ela estava obviamente com os antidepressivos”, disse sua amiga. “Nós sempre íamos para o andar de cima e ela ficava tipo ‘Oh, eu preciso tomar meu remédio”, contou.

Na internet, a personalidade da menina era completamente diferente. Em seu Twitter, ela falava que odiava autoridade. Um de seus tweets falava: “decisões ruins criam ótimas histórias”. E em outras redes sociais, como Youtube e Myspace, ela listava seus hobbies como sendo matar pessoas e se cortar.

Assassinato

Foi em 21 de outubro de 2009 que ela deu vida a suas fantasias. A menina de nove anos morava a quatro casas de Alyssa e sempre ia a sua casa para brincar e na noite em que a menina foi assassinada, sua mãe pediu para que ela fosse brincar com Alyssa.

Elizabeth saiu de casa às cinco da tarde, e quando às seis ela não estava de volta, sua mãe sabia que alguma coisa estava errada. No dia seguinte do desaparecimento de Elizabeth, os agentes foram interrogar Alyssa e pegaram seu diário. Eles viram também um buraco raso no fundo da casa da adolescente, mas ela falou para os agentes que gostava de cavar buracos.

Depois, outra cova rasa coberta de folhas foi achada na casa de Alyssa e o corpo de Elizabeth estava dentro. A adolescente então foi acusada de ter matado a menina de nove anos e foi presa.

Julgamento

O diário, que foi apreendido, mostrava um lado ainda pior de Alyssa. Ela tentou apagar o que tinha escrito, mas os investigadores conseguiram desvendar. “Eu acabei de matar alguém. Eu os estrangulei e cortei sua garganta e os esfaqueei, agora que eles estão mortos. Eu não sei como me sentir em casa. Foi incrível. Assim que você superar o sentimento de ‘ai meu deus eu não posso fazer isso’, é bem agradável. Eu estou meio nervosa e instável agora. Kay, eu tenho que ir à igreja agora … lol”, ela escreveu.

Alyssa confessou ter matado Elizabeth a estrangulado, ter cortado sua garganta e a enterrado na cova que ela cavou nos fundos de sua casa. Os advogados de defesa tentaram culpar a infância problemática da adolescente, mas ela foi julgada como adulta.

Depois do julgamento, em 2012, ela aceitou um acordo judicial para evitar sua pena de morte. A mãe da menina assassinada, Patricia Preiss, achou a sentença demorada demais e chamou Alyssa de monstro, dizendo que ela não era humana.

 

Facebook Comments